Notícias
Artigo sobre zeólitas naturais na melhoria de solos e otimização de fertilizantes
Zeogroup
01/17/2019

As zeólitas apresentam-se de forma natural nas rochas de origem vulcânica, e são minerais do grupo aluminossilicatos hidratados compostos por: alumínio, sílica, hidrogénio e oxigénio organizados numa estrutura tetraédrica tridimensional altamente estável.

A estrutura destes elementos compõe cristais de zeólitas que possuem uma rede de micro poros conectados entre si, com diâmetros variando de 2,5 a 5,0 A0, dependendo do tipo de mineral de zeólita.

As zeólitas naturais agrupam-se em quantidades significativas que constituem depósitos, e são conhecidos cerca de 50 minerais dessa família, dentro dos quais temos os seguintes:

• Analcima
• Chabacita
• Estilbite
• Heulandite
• erionita
• Gismondita
• Faujasita
• Laumontite
• Mordenita
• Clinoptilolite
• Gonnardita
• Ferrierita
• Epistilbita
• Filipsita
• Naturalita

Mordenite e Clinoptilolite são os minerais zeolíticos mais conhecidos pelos seus usos e aplicações. Clinoptilolite, é uma Zeólita natural formada a partir de cinzas vulcânicas em lagos ou águas marinhas há milhões de anos. Clinoptilolite é o mais estudado e considerado mais útil e é conhecido como adsorvente de certos gases tóxicos, como sulfeto de hidrogénio e dióxido de enxofre.


Benefícios produzidos pelas zeólitas nos solos

• Melhora as suas propriedades físicas (estrutura, retenção de humidade, aeração, porosidade, densidade, ascensão capilar, etc.).
• Melhora as suas propriedades químicas (pH, nitrogénio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e micronutrientes), aumentando a sua capacidade de troca catiónica.
• Diminui o teor de sódio no solo, que pode ser tóxico para as plantas.
• Facilita maior estabilidade do conteúdo de matéria orgânica do solo e não permite a perda de matéria orgânica por mineralização.
• Aumenta a retenção de nutrientes, o que permite reduzir até 50% a aplicação de fertilizantes minerais tradicionalmente aplicados.
• Aumenta a retenção de humidade reduzindo as doses de irrigação em mais de 15%.
• Melhora consideravelmente o nivelamento do terreno, devido à melhoria da sua estrutura.
• A aplicação de zeólita no solo reduz significativamente a quantidade de água e o custo em fertilizantes, através da retenção de nutrientes na zona radicular.
• As zeólitas formam um depósito permanente de água, garantindo um efeito de humidade prolongado, mesmo em períodos de secura.
• Controla a acidez do solo, aumentando o pH. Isto é devido à sua capacidade de alcalinização.
• Aumenta a resistência à compactação do solo.
• As condições físico-químicas dos solos arenosos melhoram com a aplicação da zeólita, pois aumenta a sua capacidade de retenção de humidade, e nos solos argilosos, melhora as condições físicas, evitando a sua compactação e melhorando a capacidade de penetração da água.
• Aumenta o aproveitamento dos fertilizantes químicos, pesticidas e outros produtos aplicados no solo, pois os incorpora na sua massa porosa e os libera pouco a pouco.
• Melhora a nitrificação no solo. Ao fornecer uma superfície ideal para a adesão de bactérias nitrificantes, ajuda a aumentar a nitrificação. Pela mesma razão, a população de bactérias do solo que atacam fungos patogénicos aumenta.
• A estrutura porosa das zeólitas ajuda a manter o solo aerado. Uma única aplicação de zeólita oferece benefícios por um longo tempo devido à estabilidade e resistência desta substância
• Facilita boas relações entre nutrientes.
• Facilita a solubilização de fósforo (P) e assimilação de potássio (K).
Benefícios produzidos pelas zeólitas na produção de fertilizantes orgânicos, químicos e minerais orgânicos.
a) Na produção de fertilizantes orgânicos:
• Diminui os lixiviados, que muitas vezes na forma líquida, contaminam fontes de água doce.
• Controla 100% odores desagradáveis ​​no processo de compostagem.
• Aumenta a qualidade agrícola e comercial do composto.
• Diminui até 50% a perda de nutrientes devido à volatilização, que ocorre durante o processo de produção.
• Acelera o processo de decomposição de resíduos orgânicos e sua conversão antecipada em fertilizantes.
• Ter menos perda de nutrientes aumenta a qualidade biológica dos fertilizantes orgânicos.
b) Na produção de fertilizantes químicos e de órgãos minerais:
• As zeólitas atuam como fertilizantes de liberação lenta. Elas têm uma estrutura carregada negativamente que contém nutrientes como potássio e nitrogénio. Eles podem ser carregados com esses iões antes de serem usados ​​como meio de cultura para liberar mais tarde os nutrientes próximos ao sistema radicular, onde são necessários para o crescimento.
• Aumenta a eficiência do uso de fertilizantes químicos e órgãos minerais em mais de 50%.
• Não só pode atuar como um fertilizante de liberação lenta, diminuindo ou reduzindo os lixiviados (movimento dos nutrientes dissolvidos na água no solo), da zona radicular, mas também reduzindo a migração de nutrientes da zona radicular a águas profundas, eliminando a possibilidade de contaminação ambiental.
• Muitos dos fertilizantes usados ​​no campo da agricultura, por exemplo, o nitrato de amónio, têm baixa eficiência no uso de seus nutrientes e, em pouquíssimos casos, a eficiência é superior a 50% para a maioria das culturas. As adições de zeólita podem ajudar a aumentar a eficiência desses fertilizantes.

 

Avila Castellanos
Agricultor